Irmãos Djim: TAS dá razão ao FC Porto no diferendo com o Standard

19 maio 2017
Publicado por 
Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) deu razão ao FC Porto no diferendo que o clube azul e branco mantinha com o Standard Liège a propósito dos direitos de formação dos irmãos Djim.

 

O Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) deu razão ao FC Porto no diferendo que o clube azul e branco mantinha com o Standard Liège a propósito dos direitos de formação dos irmãos Djim. O clube belga reclamava 400 mil euros pelos diretos de formação dos jogadores Tony e Celéstin Djim.

O Standard de Liège apresentou, em novembro de 2015, uma queixa contra a FC Porto SAD, na qual defendia que lhe é devida a quantia de 160 mil euros pela formação de Tony Djim e 270 mil euros pela formação de Celestin Djim. A 25 de fevereiro de 2016, a FIFA deu razão total ao FC Porto, entendendo nada ser devido ao clube belga por não ter cumprido com determinadas exigências regulamentares da FIFA. O Standard entendeu recorrer e foi isso que fez.

Pierre Locht, diretor jurídico do Standard, defendeu na audiência em Lausana, Suíça, que o clube mostrou interesse em manter o duo antes da proposta feira pelo FC Porto. O TAS, todavia, não considerou provado que as referidas propostas tenham sido recebidos pelos irmãos. Considera, isso sim, que a alegada proposta teria sido feita apenas com o objetivo de receber a compensação pela formação dos jogadores, conduta que contraria os regulamentos da FIFA. O Standard foi, ainda, condenado a pagar 10 mil francos suíços (pouco mais de 9 mil euros) ao FC Porto pelas custas do processo.

Célestin Djim, 22 anos, joga agora no Roda, da Holanda, enquanto Tony, 20, alinha na equipa b dos dragões.

851 VISUALIZAÇÕES

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree