"Nunca seremos os maiores em segundo ou terceiro"

16 abril 2017
Publicado por 
Ricardo Moreira lembra Manuel Arezes para inspirar a equipa, que tem quatro pontos de vantagem a cinco jornadas do fim

 

Por João Pedro Barros


Juntos, Ricardo Moreira e Hugo Laurentino somam 28 presenças em fases finais. Por isso, não há ninguém melhor do que eles para falar do momento decisivo da época, em que a margem de erro é mínima. Os conselhos do duo podem ser preciosos para os mais novos, mas às vezes é mais simples do que parece: pensar num jogo de cada vez pode diminuir muito a pressão.

O capitão Ricardo Moreira nunca mais se esqueceu de um lema que lhe foi transmitido pelo antecessor Manuel Arezes: “Somos os maiores quando ganhamos. Nunca seremos os maiores em segundo ou terceiro”. Estas duas frases resumem a pressão particular do modelo competitivo do andebol, à imagem de outras modalidades, em que a decisão do título se concentra na parte final da época – este ano de novo num sistema de todos contra todos, em que as equipas herdam metade dos pontos arrecadados na primeira fase. Não há espaço para desatenções e jogos menos conseguidos ou uma simples escorregadela podem decidir tudo.

Quem o diz é não só Ricardo Moreira, mas também Hugo Laurentino, os elementos mais experientes do plantel, que somam 28 presenças em fases finais, quase metade (13) disputada no formato por pontos. Os dois andebolistas têm tido carreiras quase paralelas, marcadas por muitos sucessos (16 títulos nacionais em conjunto), mas também algumas desilusões. Por exemplo, a eliminação em 2007/08 às mãos do São Bernardo continua atravessada.

Voltamos à sentença de Manuel Arezes. Ricardo Moreira frisa que ele tem razão e explica porquê: “Se ganharmos, todos – jogadores, treinadores, treinadores adjuntos, preparadores físicos, treinador de guarda-redes e clube – saímos valorizados. No dia em que perdermos, ninguém dá por nós. Só olham para o primeiro classificado e só há um, não dois ou três”.

Pode ser um pensamento cruel – quem condena uma equipa que perde um campeonato após conquistar um número recorde de sete consecutivos? –, mas é inegável que há aqui um fundo de verdade que tem a ver com a natureza do desporto e de uma sociedade cada vez mais frenética. E que ideia principal transmite o ponta direita para alcançar o sucesso nesta fase final? “O mais importante e complicado é que numa equipa todos comunguem dos mesmos objetivos e pensamentos. Espero que isto aconteça nesta fase final”.
 
Fonte: FCP

DEIXE UM COMENTÁRIO

We use cookies to improve our website. Cookies used for the essential operation of this site have already been set. For more information visit our Cookie policy. I accept cookies from this site. Agree