Menu

Amnistia Internacional elogia Taremi e pede ″elevação de linguagem″

+FCPorto 6 meses ago

A Amnistia Internacional, ainda no Porto Canal, lembrou “o longo caminho que temos que fazer em Portugal, naquilo que é a luta contra o racismo e na luta a favor da liberdade religiosa”.

A Amnistia Internacional de Portugal juntou-se ao coro de críticas pelo teor das declarações de Carlos Xavier na Sporting TV – que entretanto já pediu desculpa – sobre Taremi, especialmente a parte em que se refere ao avançado do FC Porto como “o muçulmano”.

Pedro Neto, diretor executivo da Aministia Internacional Portugal, em declarações ao Porto Canal, referiu a necessidade de “comentadores” e “analistas televisivos” terem noção do enorme alcance que pode ter tudo aquilo que dizem.

“Todos temos de elevar a nossa linguagem e adequar. E mais os comentadores e os analistas televisivos, seja em que canal for têm muita responsabilidade de exemplo e de elevação de linguagem, porque podem instruir e podem apelar à paz e ao respeito, direta ou indiretamente e, portanto, mais do que julgamentos é esse o apelo que quero deixar”, referiu,.

Pedro Neto deixou ainda uma “palavra de admiração” a Mehdi Taremi e a toda a seleção iraniana pelo exemplo que têm sido perante o que passa no Irão, em matéria de abusos de direitos humanos.

“Oxalá todos os atletas pudessem ser vozes sonantes, naquilo que são os problemas de Direitos Humanos ou dos seus países de origem ou nos países onde jogam”, afirmou.

A Amnistia Internacional, ainda no Porto Cabal, lembrou “o longo caminho que temos que fazer em Portugal, naquilo que é a luta contra o racismo e na luta a favor da liberdade religiosa”.

“É uma lei que tem já mais de 20 anos em Portugal, a lei da liberdade religiosa e continuamos a descriminarmo-nos uns aos outros, conforme aquele que é o nosso país de origem, ou conforme aquela que é a nossa origem étnica ou conforme aquela que é a nossa religião. E a questão da liberdade religiosa e do anti-semitismo ou do anti-cristianismo ou da Islamofobia são coisas que temos de alertar as pessoas e que não são condizentes com os Direitos Humanos”, realçou, Pedro Neto.

Fonte: ojogo.pt