Menu

Champions só no Porto

+FCPorto 2 meses ago

FC Porto venceu o Shakhtar (5-3) e é a única equipa lusa nos “oitavos” da Liga dos Campeões

Há um clube português que continua a elevar o nome da cidade, da região e do país além-fronteiras. Esse clube chama-se Futebol Clube do Porto e é o único emblema português qualificado para a fase a eliminar da maior prova clubística do mundo. Para o conseguirem, os Dragões receberam e bateram o Shakhtar Donetsk, por 5-3, graças à pontaria de Galeno (dois golos e uma assistência), Mehdi Taremi, Pepe e Francisco Conceição. Este resultado encerra as contas do Grupo H, que terminou com Barcelona e FC Porto empatados a 12 pontos mas com os catalães na liderança fruto do confronto direto.

Sérgio Conceição promoveu três alterações ao onze do campeonato – retirando Iván Jaime, João Mendes e Zé Pedro (fora da lista enviada à UEFA) e lançando Galeno, Zaidu e Fábio Cardoso – e só foi preciso esperar um par de minutos pela primeira oportunidade: Evanilson cruzou, Taremi cabeceou e Riznyk defendeu para canto.

O marcador do Estádio do Dragão mexeu sete minutos depois, aos nove, quando Pepe lançou longo, Pepê deixou para Evanilson e este cruzou na medida certa para Galeno encostar (1-0). Mesmo em desvantagem, os de Donetsk iam dando uma imagem completamente diferente da primeira, conforme demonstrou a cabeçada de Sikan a rasar o travessão e a boa jogada de envolvimento que proporcionou ainda melhor defesa a Diogo Costa.

O momento mais insólito da jornada europeia (quiçá da temporada) surgiu à passagem da meia-hora e teve um dos árbitros assistentes como protagonista. A defesa portista desinteressou-se da bola perante o levantar da bandeirola de Vasile Florin durante um ataque forasteiro, assistiu à entrada do esférico na própria baliza e ficou perplexa pela validação do golo após intervenção do VAR (1-1).

O empate bastava, mas não agradava, por isso Jorge Sánchez ofereceu o bis a Galeno e o brasileiro desperdiçou a primeira chance, mas não a segunda. Em cima do intervalo, o MVP da ronda inaugural em Hamburgo fuzilou as redes da baliza Norte e faturou pela quinta vez na temporada (2-1) – quatro diante deste mesmo adversário.

O duelo Taremi-Riznyk prolongou-se pela etapa complementar e o iraniano ainda permitiu nova intervenção ao ucraniano antes de finalmente o bater (3-1), após recuperação e assistência do inevitável Galeno que, além de bisar, ainda somou um passe para golo. Os mineiros responderam, Sikan reduziu o atraso graças a uma infelicidade de Eustáquio (3-2) e Pepe repôs a distância quatro minutos mais tarde, na sequência de um pontapé de canto (4-2).

Jorge Sánchez, Eustáquio, Pepê e Evanilson saíram, João Mário, Marko Grujic, André Franco e Francisco Conceição entraram e o camisola 10 só precisou de tocar uma vez na bola para elevar a contagem até à mão cheia (5-2). Sem nada a perder, o Shakhtar ainda tornou a responder na mesma moeda, por Eguinaldo (5-3), e o triplo apito de István Kovács assinalou o 18.º apuramento azul e branco na fase de grupos da Champions. Não é para todos.

Fonte: fcporto.pt