Menu

“Expulsão de João Mário? Não sabem as regras e se sabem foi propositado”

Claudio Rocha 12 meses ago

Francisco J. Marques, diretor de comunicação e informação do FC Porto, no programa Universo Porto da Bancada, do Porto Canal, apontou o vermelho ao lateral como “o grande erro da época”: “Inaceitável e incompreensível”. E deu exemplo semelhante em jogo de Portugal no Mundial.

Francisco J. Marques, diretor de comunicação e informação do FC Porto, comentou no programa Universo Porto da Bancada, do Porto Canal, a expulsão de João Mário contra o Gil Vicente, na última jornada.

“É o pecado original do jogo, é na sequência que tudo o resto se desenvolve e que não aconteceriam… É o grande erro da época, inaceitável e incompreensível. A bola é intercetada no movimento em queda do João Mário, todos os árbitros sabem que isto não é falta e há uma razão recente para o saberem: o braço está naquela posição para proteger a queda e não é falta. Este lance é muito parecido com um lance que significou o penálti que deu a vitória de Portugal sobre o Uruguai em que o árbitro e o VAR foram mandados para casa pela FIFA, não arbitraram mais. Em Portugal, os árbitros sabem que isto não é falta. O senhor Rui Costa assinalou a falta e mostrou o cartão amarelo por causa de uma segunda mão que acontece, até aí tudo bem. Onde começam os problemas a sério? Quando o VAR chama o árbitro indicando que é lance de expulsão em relação ao primeiro momento. E porque temos a certeza que foi isso que o VAR Tiago Martins chamou à atenção? Porque vemos as imagens que estão a ser exibidas ao árbitro e estas param na tal mão que não é falta. O VAR Tiago Martins não sabe uma das regras mais elementares do futebol e quem não sabe não pode arbitrar. E o Rui Costa ali nas funções de árbitro também não sabe e foi ver e deu vermelho. Uma situação invulgar e incompreensível que não pode deixar de ter consequências. Os dois não sabem as regras e se sabem foi propositado e não quero acreditar nisso. A FIFA prestou esclarecimentos e disse que este lance não é falta. É igual ao do Portugal-Uruguai só com a diferença de ser fora da área”, atirou.

“Curiosamente, o árbitro Rui Costa no jogo com o Académico de Viseu na Taça da Liga, o jogador do A. Viseu interceta com a mão e ele não marcou falta. E bem. Mas as regras não se aplicam quando está em causa o FC Porto?”, questionou, a finalizar a discussão sobre o tema.

Fonte: OJogo