F.C.Porto vence por 3-0 o Portimonense no intervalo das duas mãos dos quartos de final da Liga dos Campeões

 A equipa portista venceu na sempre difícil e complicada deslocação a Portimão. Uma vitória por 3-0 num jogo em que se sentiu algum cansaço resultante da batalha tida a meio da semana em Inglaterra e onde se sentiu, também, perca de intensidade após o 1-0 , certamente, com os jogadores a pensarem no fim de guerra que terão na quarta-feira com os reds de Liverpool.

Sérgio Conceição, com a convicção que o jogo não seria fácil, uma vez que Sporting, Braga e Benfica não tinham conseguido passar neste teste, decidiu alinhar com Casillas, Manafa, Pepe, Militão, Alex Telles, Danilo, Herrera, Corona, Brahimi, Marega e Tiquinho Soares. Não haviam poupanças a pensar na Champions e havia a certeza de que o míster portista procurava ter profundidade com Corona (um extremo puro) e Manafa e procurava, ao mesmo tempo, ter um jogo com diagonais para o centro com Brahimi (que regressou ao onze titular).

O F.C.Porto começou expectante até porque pela frente tinha a quinta equipa mais finalizadora do campeonato, contudo, este Portimonense apresenta algumas falhas defensivas e foi numa dessas falhas defensivas que Moussa Marega aproveitando o espaço correu e conseguiu efectuar um passe rasteiro para que o argelino Brahimi inaugurasse o marcador aos quinze minutos.

A equipa de Portimão continuou com alguns erros defensivos, contudo, a equipa portista ia falhando o último passe, o que a impediu de criar perigo junto da baliza do Portimonense. Um excelente jogo defensivo da equipa portista, alicerçado com uma dupla do meio campo capaz de a ajudar, conseguiu evitar o golo do Portimonense, fazendo que se chegasse ao intervalo com o resultado em 1-0 para os comandados por Sérgio Conceição.

Nesta primeira parte destacaram-se: Pepe que começa a alinhar-se com os seus defesas e médios e fez o seu melhor jogo desde que regressou ao F.C.Porto em Janeiro, as rotinas estão adquiridas e o internacional português poderá brilhar tal como se espera e o fez neste jogo. Marega pela assistência e por continuar a ser uma força da natureza, quanto correu o maliano e quanto lutou e Brahimi pelo golo marcado, mas também, por tentando "pegar" no jogo portista por diversas ocasiões.

A segunda parte iniciou e as premissas eram obvias: o Portimonense queria empatar e o Porto queria o segundo golo que desse a tranquilidade necessária. A equipa de Portimão tinha bola e demonstrava que sabia jogar e a equipa Portista corria atrás da bola e procurava sair em transição rápida.

A verdade é que os minutos foram passando e o Portimonense não conseguiu marcar, muito por culpa de Pepe e Militão que cortavam tudo. O F.C.Porto continuava com pouca intensidade e a “pensar” no Liverpool. Sérgio Conceição procurava mexer com a equipa e colocou Otávio e Fernando Andrade e retirou Corona e Tiquinho Soares, mas de pouco adiantou. A equipa não conseguia ter um fio condutor no seu jogo e a única forma de tentar o segundo golo era lançar Marega em passes por profundidade. Curiosamente foi assim que aconteceu o golo da tranquilidade por Marega aos setenta e três minutos.
Feito o 2-0, o F.C.Porto ainda perdeu mais intensidade e o Portimonense baixou os braços, já a caminhar para o fim do jogo, Herrera numa recarga ainda fez o 3-0 final.

Um bom jogo da equipa do F.C.Porto que nunca teve o resultado em perigo, até, porque o Portimonense nunca criou muito perigo, todavia, o 1-0 era perigoso, porque num lance de bola parada a equipa do Portimonense poderia empatar. O 2-0 apareceu a tempo e de certo modo os jogadores do F.C.Porto conseguiram “descansar” para o próximo jogo que será contra o Liverpool.

A equipa portista procurou a profundidade nas costas da equipa do Portimonense, mas nem sempre o último passe surgiu em condições, o que complicou o jogo. Uma dupla de centrais inspirada e um Marega em grande momento valeram ao F.C.Porto.

Segue-se a segunda mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões contra o Liverpool e onde é necessário aniquilar uma desvantagem de dois golos. Será uma tarefa complicada frente a uma das equipas candidatas a vencer a Champions e que neste momento luta pela Premier League, mas certamente a equipa portista com os seus adeptos fará a melhor exibição possível e lutará como nunca para ultrapassar mais um obstáculo.

Saudações + Portistas
+ Gilberto Borges

© 2017 +FC PORTO - All Rights Reserved. Developed by ANIMAR