dragao

Liga planeia terminar o campeonato com jogos à porta fechada

Comissão Permanente de Calendários esteve reunida esta quinta-feira. Campeonato a recomeçar no fim de maio para poder acabar em julho, cumprindo assim a data limite imposta pela UEFA. É esta a expectativa da Liga de clubes, cuja Comissão Permanente de Calendários esteve esta quinta-feira reunida por videoconferência. Tudo ainda depende da evolução da pandemia e até das autoridades de saúde, mas o plano traçado incluiu a realização das jornadas que faltam à porta fechada. Com as equipas paradas, tirando o treino individual que cada jogador faz em casa, a ideia é o regresso aos treinos no início de maio, numa espécie de reinício de época mais curto, e então retomar a prova no final do mês de maio, mas concretamente no último fim de semana. O campeonato, sempre de acordo com o plano, iria terminar no fim de semana de 18 e 19 de julho, com duas jornadas a meio da semana: a 10 de junho e 1 de julho, duas quartas-feiras que servem como referência. No que toca à Taça de Portugal, a final entre FC Porto e Benfica poderá ser disputada a 25 ou 26 de julho, encerrando assim a época em Portugal. ojogo

porto 86 87 ( 1)

Dynamo Kiev x FC Porto: a última vitória antes do sonho

A campanha portista que culminou com a conquista da Taça dos Clubes Campeões Europeus (Viena) teve muitos momentos que os adeptos gostam de lembrar. Desde a goleada aos amadores malteses até ao calcanhar de Madjer, muitas serão as memórias que o comum adepto portista recorda com emoção, mas certamente que muitos falarão de uma tarde em Kiev, na então União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, onde o FC Porto foi gigante e escreveu uma das mais belas páginas da sua história. O papão soviético Certamente que a maioria dos nossos leitores mais jovens não imagina o poder e a força da equipa do Dynamo Kiev em meados dos anos 80. Os ucranianos eram uma máquina que jogava de olhos fechados, magistralmente orientada por Valeriy Lobanovsky e pelo seu futebol científico, e eram os vencedores em título da Taça das Taças, para além de serem a base da seleção soviética, a mesma seleção que esmagara Portugal em Moscovo quatro anos antes, que no ano anterior brilhara no Mundial do México e que vira Igor Belanov vencer o Ballon d’Or da France Football. Nesse tempo, o nome Dynamo Kiev impunha tanto ou mais respeito que Real Madrid, Bayern Munique ou Juventus. Jogar em Kiev era uma missão dificílima e era preciso recuar a 1983 para encontrar alguma equipa que saísse de Kiev com a vitória: o Hamburger SV de Magath e Hrubesch, que venceria essa edição da Taça

image

Sérgio Oliveira, Paciência, Castro e André Pereira num treino conjunto, mas à distância

Além de jogadores de futebol, todos têm algo em comum: vestiram a camisola do FC Porto. Sérgio Oliveira, Gonçalo Paciência, Castro, André Pereira e Hugo Sousa puseram a conversa em dia enquanto treinavam. Nos tempos que agora vivemos há que ser imaginativo e encontrar soluções para combater a distância. Pois bem, e se for possível pôr a conversa em dia enquanto se treina para manter a forma? Foi nisso que pensaram Sérgio Oliveira, Gonçalo Paciência, André Castro, André Pereira e Hugo Sousa. Os jogadores formados no FC Porto fizeram videochamada durante o treino em casa e registaram o momento nas redes sociais. ojogo

doc2019072726741541jc_353613452b24defaultlarge_1024

Danilo apela à solidariedade: “Chegou o momento de ajudar quem nos ajuda”

Internacional do FC Porto deixou uma mensagem a pedir aos portugueses que contribuam para angariar equipamento hospitalar Danilo já tinha deixado uma forte mensagem de agradecimento aos profissionais de saúde que estão na linha da frente no combate à Covid-19, mas agora foi mais longe e apelou a que os portugueses façam um donativo para ajudar à compra de equipamento hospitalar e de material de proteção individual para hospitais e IPSS. O trinco do FC Porto juntou-se à iniciativa da SIC e garante já ter feito a sua parte. Agora, espera que muitos portugueses sigam o exemplo e ajudem numa fase em que o vírus continua a galopar no país. “Chegou o momento de cada um de nós ajudar quem nos ajuda. Eu já contribui. Estamos juntos por Portugal”, referiu o internacional, num pequeno vídeo que fez e que foi, primeiro, partilhado, pela página oficial da Seleção Nacional e, depois, pelo próprio atleta. ojogo

sergio-conceicao-890x593

Sérgio Conceição: “Tenho a folha do primeiro treino”

Sérgio conceição Treinador cumpriu mil dias desde que iniciou funções no Olival. Quer que, no futuro, se valorize mais o que é português. A 3 de julho de 2017, Sérgio Conceição entrava oficialmente a serviço como treinador do FC Porto, orientando o primeiro treino no Olival. Mil dias – cumprem-se precisamente este domingo -, 154 jogos e 715 treinos depois, atinge uma marca que apenas mais quatro treinadores na história do clube alcançaram: Pedroto, Artur Jorge, Fernando Santos e Jesualdo Ferreira. Conceição recorda como tudo começou e deixa um desejo para quando os estádios reabrirem. Ainda se lembra do primeiro treino como treinador do FC Porto? -Porque me recordaram esse dia, fui buscar a folha do treino e tenho aqui na mão por curiosidade. Tinha 16 jogadores mais três guarda-redes e o Hernâni estava condicionado. Tenho também os exercícios que foram feitos. Cada treino tem a sua história e a sua vida e no fundo são todos diferentes. Lembro-me muito bem do estado de espírito, da ambição que tínhamos por chegar e representar um dos melhores clubes da Europa e o melhor de Portugal. Sempre fui competitivo e desde a minha chegada ao FC Porto, enquanto jogador, alimentei muito essa

sergio-conceicao-890x593

Conceição foi desafiado e escolheu os quatro melhores jogos no FC Porto

Sérgio Conceição escolheu os momentos principais destes mil dias enquanto treinador do FC Porto. Sérgio Conceição foi desafiado a destacar alguns momentos destes mil dias ao leme do FC Porto e não precisou de pensar muito. “O primeiro foi o dia em que perdemos no Restelo por 0-2, no ano do título (2017/18). Por duas razões muito importantes: primeiro, pela interação entre adeptos e equipa, foi espetacular no jogo em que perdemos o primeiro lugar, foi a vitamina de que precisávamos para ser campeões mais tarde; depois, foi o momento no balneário em que estivemos perto de duas horas numa conversa que foi talvez a mais marcante que nós, grupo de trabalho, tivemos. E eu também, especialmente enquanto treinador. Aquilo que provocou deu-nos a “sapatada” para o título”, começou. Depois destacava também a vitória sobre o Leipzig [3-1] porque acho que em termos táticos foi a mais bonita. Foi um jogo fabuloso da minha equipa, que interpretou quase na perfeição o que preparámos. Foi para mim o jogo mais bonito, não na beleza estética, mas na tática. Quem percebe de futebol percebe o que estou a dizer. A forma como o FC Porto desmontou a estratégia do Leipzig dentro do

transferir

Como Diogo Leite tenta fintar a rotina

Além de cumprir os treinos elaborados pela equipa técnica, o central tenta criar alguma coisa nova todos os dias para se desafiar Diogo Leite publicou um vídeo em que conta como tem tentado quebrar as novas rotinas, nascidas com o confinamento. “Não tem sido fácil estar em isolamento. Tenho trabalhado todos os dias para manter a minha forma física. Criei um plano com horas de treino, de descanso, de lazer e também com horas em que tento criar alguma coisa nova para fugir um pouco à rotina”, contou. O jovem central do FC Porto deixou ainda uma mensagem de apoio a quem está a lutar contra a Covid-19. “Apelo a todos que, com toda a responsabilidade, sigamos as diretrizes da DGS. Quem pode, que fique em casa porque só assim vamos parar a propagação do vírus. Não só nos estamos a ajudar a nós, mas também a todos os profissionais que estão na linha da frente e a eles o meu muito obrigado. Tiro-lhes o chapéu. Que mantenhamos a esperança. Estou seguro de que no final vamos estar todos felizes”, referiu. ojogo

nelson-puga

Nélson Puga: “Respeitem o isolamento social”

Quando o assunto é saúde, acreditamos que devemos dar maior tempo de antena a quem sabe. Nélson Puga, Diretor do Departamento de saúde do FC Porto, não se nega a falar sobre a pandemia do COVID-19 e frisa que “o futebol adotou as medidas um bocadinho antes do Governo” e a antecipação, neste caso, pode ajudar a fazer a diferença. Num momento de uma delicadeza extrema para o nosso país, para a Europa e para o mundo, Nélson Puga, admite que tem sido uma espécie de “linha de saúde 24 do FC Porto”, explica como é feito controlo do trabalho dos jogadores e deixa ainda o seu ponto de vista, enquanto profissional de saúde, acerca deste surto. “Há esperança”, garante-nos, numa entrevista à Liga Portugal cheia de conteúdo e precauções a tomar. Como está a acompanhar esta situação? Estamos a acompanhar com apreensão… Eu tenho-me dedicado a toda a estrutura do FC Porto, que é uma estrutura muito grande. Se atendermos a todo o universo, são aproximadamente 600 pessoas, portanto, estou a fazer uma espécie de linha de saúde 24 do FC Porto e os restantes colegas a trabalhar para o Serviço Nacional de Saúde e a ajudar no combate