Pinto da Costa pede mudança na Liga e sobre as arbitragens atira: «Tenho moral para falar; Fui sempre absolvido»

Na longa entrevista ao jornal OJogo, Pinto da Costa atacou a direção da Liga, de Pedro Proença. A formação do G15 e aquilo a que chama de «show off» da final four da Taça da Liga fazem com que o presidente portista aponte para uma mudança.

«O que não é normal é que, enquanto outros países se pára no inverno, em Portugal, para o show off que a Liga quer fazer na final four da Taça da Liga, uma coisa que chega a roçar o saloio, em vez de se dar descanso aos jogadores mete mais jogos. No interior da Liga não é possível resolver nada. A partir do momento em que foi formado o G15, sejam eles 12 ou 13, que parece o conselho da revolução, e que o presidente lhes deu cobertura, sujietando-se ao ridículo de reunir não na sede, mas num hotel, acho que não vai ser possível, com esta orientação, resolver nada. Mudança? totalmente», disse.

Já sobre as críticas feitas pelo Benfica sobre o facto de Pinto da Costa não ter moral para falar de arbitragens, por causa do Apito Dourado, o presidente do FC Porto lembra que foi sempre absolvido.

«Apito Dourado? Fui dez vezes a tribunal e em cinco fui totalmente absolvido. O MP, creio que por indicação da dra. Mária José Morgado ou do anterior procurador geral, tinha ordens para recorrer , com razão ou sem ela. Recorreram sempre e eu fui sempre ilibado. Se for acusado de me roubar a carteira, for julgado e ficar provado que não, fica complexado com isso?», acrescentou.

 

Fonte: zerozero.pt

© 2017 +FC PORTO - All Rights Reserved. Developed by ANIMAR