Menu

Prejuízo de 2,4 milhões de euros a votos na Assembleia Geral do FC Porto

+FCPorto 4 meses ago

Depois da forte adesão que motivou a transferência, à última da hora, da Assembleia-Geral Extraordinária (AGE) – entretanto cancelada por falta de objeto -, de um auditório do Dragão para o pavilhão, a próxima AG do FC Porto já foi marcada diretamente para o Dragão Arena (21 horas do dia 29), uma vez que se prevê, de novo, uma grande afluência. Desta vez, trata-se de uma reunião ordinária para a apreciação e votação das contas do clube (individuais e consolidadas) relativas ao último exercício. Os resultados já podem ser consultados no site do clube e, tal como O JOGO avançou em exclusivo na edição imprensa desta domingo, neste caso, o prejuízo foi de 2,4 M€, menos 264 mil euros do que no período homólogo de 2021/22, exercício que foi aprovado por maioria.

Lourenço Pinto já convocou a reunião magna para apreciar as contas do clube e cancelou a de segunda-feira. Assembleia Geral do dia 29  marcada para o Dragão Arena por se prever forte afluência.

Nas contas individuais do clube, os rendimentos operacionais do FC Porto foram de 15,6 M€, um incremento de 2 M€ em relação ao exercício anterior, apesar de uma perda de 500 mil euros de receitas associativas, ou seja, relativas às quotas. Por outro lado, os gastos operacionais subiram para 18,5 M€. Nas contas consolidadas, que inclui o FC Porto e todas as empresas do universo azul e branco (a SAD, a Porto Comercial, Porto Estádio, Miragem, etc), os resultados líquidos negativos foram de 48,7 M€, o que ficou a dever-se, basicamente, à inexistência de mais-valias relevantes de vendas de jogadores.

Cumprindo com o estipulado nos estatutos, Lourenço Pinto, presidente da Mesa da Assembleia Geral, elaborou a convocatória com a antecedência mínima de 10 dias – a máxima são 30 – em relação à data da sua realização. Depois do cancelamento da AGE de amanhã, destinada a votar uma proposta de estatutos entretanto retirada pelo Conselho Superior, não sobravam muitos dias para as contas serem votadas, já que, de acordo com a lei fundamental dos dragões, isso tem de acontecer até ao último dia de novembro de cada ano. Ora, a 28, o FC Porto joga em Barcelona e a 30 o pavilhão estará ocupado com um jogo da Champions de hóquei em patins, com o Trissino.

Além da discussão das contas, no final da AG haverá meia hora para tratar de assuntos de interesse para o clube, onde os associados poderão, por exemplo, colocar questões à Direção. Antes, no dia 23 (quinta-feira, às 15 horas), será a vez de os acionistas da SAD votarem o relatório e contas.

Fonte: ojogo.pt