Menu

“Quando faço um ou outro alerta, não é porque me vem à cabeça…”

+FCPorto 3 meses ago

Melhorias um mês depois da derrota com o Estoril: “Quando faço um outro alerta, não é porque me vem à cabeça. Se não, dentro daqueles departamentos, vão dizer ‘aquele maluquinho está a falar de mais’ ou ‘não sabe o que está a dizer’. Se tenho uma mensagem a passar para fora, é porque bem pensada no que pretendo. Naquele momento, achei que o devia dizer, porque se passaram situações que não me agradaram. Naquele momento, achei que, de uma forma pensada, que o devia dizer. Neste momento, e depois disso, as pessoas, como grandes profissionais que são, continuam a trabalhar sempre com o intuito de fazer o melhor e cada dar o melhor de si. Com isso, fico muitíssimo satisfeito. Não há departamentos perfeitos, incluindo a equipa técnica. Por isso, conjunto, tentamos todos os dias melhorar. Assumo sempre a responsabilidade em tudo. Não é como disseram naquele momento, se era o departamento médico que fazia a equipa ou treinava os jogadores… Não, sou eu que treino e que perco. Não há problema. Assumo sempre a minha responsabilidade. A minha intenção é sempre fazer o melhor para que o FC Porto ganhe jogos e que estes possam dar títulos ao clube. Esse é o meu objetivo principal.”

Mudar calendário para proteger equipas na Europa: “Já me manifestei muitas vezes sobre isso. Quando digo que é bom que um clube grande esteja em todas as competições, por vezes temos de levar com esse fardo de o tempo de recuperação não ser o mais adequado para que os jogadores possam estar no máximo do seu potencial. Mas é o que é. Estamos a projetar o jogo decisivo com o Shakhtar, mas amanhã também temos um decisivo. Se perdemos, ficámos de fora da final four e não queremos isso. Não podemos olhar muito à frente, porque podemos tropeçar. E nós queremos fazer um bom jogo e ganhar.”

Fonte: ojogo.pt