Menu

Sérgio Conceição e o FC Porto-Barcelona: ″Tenho a caixa de correio cheia…″

+FCPorto 5 meses ago

Declarações de Sérgio Conceição, treinador do FC Porto, em conferência de Imprensa de antevisão à receção ao Barcelona, agendada para as 20h00 de quarta-feira e a contar para a segunda jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões

Dragão cheio: “O apoio é algo que nós temos sempre. Não é por ser o Barcelona. Vamos jogar com o Vilar de Perdizes daqui a algum tempo e os adeptos vão querer que o FC Porto ganhe. É claro que, em termos de mediatismo, estes jogos são sempre apetecíveis, tenho a caixa de correio cheia de mensagens a pedir convites, mas queria era que pedissem para os jogos de menor dimensão. É o que é, é um jogo de Champions entre dois clubes que, não sendo da capital, representam regiões que muitas vezes elevam o nome dos seus países na Europa e no mundo. Dois históricos. Nós, enquanto FC Porto, dentro daquilo que é um jogo onde a história não joga, são os jogadores que vão fazer com que possamos dar essa alegria a todos que vão estádio e todos que estão em casa a assistir ao jogo.”

Barça tem características muito específicas. De que forma é que o FC Porto vai responder a isso? “Penso que é a equipa com mais posse de bola em Espanha, num campeonato onde muitas equipas privilegiam essa situação de jogo. Utilizam muito bem a profundidade, são bastante perigosos. Como dizia o Eustáquio, são muito largos no campo e criam dificuldades ao adversário a defender. Se quisermos defender nessa largura, vão encontrar espaço por dentro. Temos de ter algumas cautelas, naquilo que é o nosso processo defensivo. Olhamos também para os outros clubes com os quais jogamos nas provas internas e é exatamente o mesmo trabalho de observação e treino que fazemos. Depois, têm individualidades que podem resolver de um momento para o outro. Estão há alguns jogos sem sofrer golos, mas sabemos de algumas das fragilidades deles, todas as equipas as têm. Tem muito a ver com a nossa consistência defensiva e depois aproveitar algumas fragilidades do adversário.”

Fonte: ojogo.pt